Como precisei me curar como mulher para me tornar mãe...⁣ ⁣

Como precisei me curar como mulher para me tornar mãe...⁣ ⁣

Já falei por aqui, quando nasce uma criança não nasce uma mãe. Mãe é um papel que vamos construindo no passar dos dias, das semanas, dos meses, dos anos, é estar em modo beta permanentemente, é um papel para o qual nunca ficamos prontas. Quando dominamos uma fase, vem outra, com desafios completamente novos, descobertas únicas, experiências desafiadoras que exigem de nós habilidades que nem sabíamos que tínhamos e talentos que emergem da alma, ou das necessidades….⁣ ⁣

Tornar-se mãe é aprender a conviver com expectativas irreais que criamos, e por vezes (muitas vezes), cruéis com nós mulheres. Expectativas sobre coisas que ninguém nos conta, sobre rotinas que romantizamos e que nos maltratam a cada minuto em que não conseguimos responder à altura do que imaginávamos ser o “certo”.⁣ ⁣

Tornar-se mãe é curar a mulher que habita em nós, é abrir mão da perfeição que passamos uma vida perseguindo, das expectativas alheias que nos esforçamos além da conta para suprir, da profissional bem sucedida que precisa dar conta de tudo o tempo todo agora e para sempre, da boa filha que nunca falha, da ótima esposa sempre presente e contente e disponível.⁣ ⁣

Tornar-se mãe é em algum momento olhar para nossas sombras, encará-las de frente, e saber onde e quando nossos limites chegam, mas não se demorar tempo além do necessário nessa tarefa.⁣ ⁣

Tornar-se mãe é permitir-se ficar vulnerável quando não sabemos o que fazer (acreditem, mães às vezes não sabem mesmo. Sim, esse é o momento da ironia!) e sentir que pode ser libertador o não saber, não ter resposta, nada nadinha…. ⁣

É nesse espaço vazio, vazio de certezas, receitas prontas e respostas certas, que temos a chance de nos construirmos como mãe, porque afinal, quando nasce uma criança não nasce uma mãe, mãe é construção, é escolha diária, para toda a vida!⁣

Que venha a próxima fase!⁣ ⁣ ⁣

Arieli Groff

Mãe da Maitê, Psicóloga, Especialista em Processos de Luto e Intervenções em Crises, Ativadora de Potencialidades, Palestrante e Escritora. 

Comentários